Elize Matsunaga pega 19 anos e 11 meses de prisão por matar e esquartejar o marido em SP

Ela matou e esquartejou o corpo do marido Marcos Matsunaga em 19 de maio de 2012. Júri durou sete dias e foi um dos mais longos da Justiça de São Paulo.

elizecondenada333

A Justiça de São Paulo condenou na madrugada desta segunda-feira (5) a bacharel em direito Elize Matsunaga pela morte do marido, Marcos Kitano Matsunaga, diretor da Yoki alimentos, em maio de 2012. Elize foi condenada a 19 anos, 11 meses e 1 dia de prisão em regime fechado. O júri, iniciado na segunda-feira (28), ocorreu no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista.

O julgamento durou sete dias e foi um dos mais longos da Justiça de São Paulo. O júri foi formado por quatro mulheres e três homens. Eles ficaram reunidos por mais de 2h30 para definir o julgamento. O juiz Adilson Paukoski deu a sentença às 2h07 desta segunda-feira.

(G1)

Baianos votam contra urgência de pacote anticorrupção no Senado

imagem_noticia_5-2

Os três senadores baianos, Lídice da Mata (PSB), Otto Alencar (PSD) e Roberto Muniz (PP), votaram contra o requerimento de urgência para votar o pacote anticorrupção aprovado na madrugada desta quarta-feira (30) na Câmara dos Deputados. Uma articulação liderada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tentou colocar o projeto para ser votado ainda nesta quarta (veja aqui), contrariando a expectativa dos próprios senadores. O requerimento de urgência foi rejeitado por 44 votos e apenas uma abstenção, de Kátia Abreu (PMDB-TO) (veja aqui). Apenas 14 senadores votaram a favor da aceleração do processo: Benedito Lira (PP-AL), Fernando Coelho (PSB-PE), Fernando Collor (PTB-AL), Hélio José (PMDB-DF), Humberto Costa (PT-PE), Ivo Cassol (PP-RO), João Alberto Souza (PMDB-MA), Lindbergh Farias (PT-RJ), Pastor Valadares (PDT-RO), Roberto Requião (PP-PR), Valdir Raupp (PMDB-RO), Vicentinho Alves (PR-TO) e Zezé Perrella (PTB-MG).

TCM opina pela rejeição das contas de Ibirataia; Prefeito disse que vai recorrer

prefeitura-de-ibirataia-2-e1480561077490

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) opinou, na tarde desta quarta-feira (30), pela rejeição das contas da Prefeitura de Ibirataia referentes ao exercício financeiro de 2015, sob a responsabilidade do atual prefeito Marcos Aurélio. As contas foram rejeitadas por gastos excessivos na locação de veículos, no montante de R$ 1.390.593,71, e na aquisição de combustíveis na quantia de R$ 1.185.849,89. O Relator das contas foi o Conselheiro Fernando Vita. O gestor foi multado em R$ 20 mil por falhas apuradas na análise do relatório técnico e em R$ 50.400,00 pela não adoção de medidas para reduzir os gastos com o pessoal ao limite de 54%, conforme estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal. Apesar de ter extrapolado o percentual das despesas com o pessoal, vez que utilizou 60,65% da receita corrente líquida do município, este não foi determinante para a rejeição das contas, pois os conselheiros levaram em consideração a queda de arrecadação enfrentada pelos municípios. A decisão cabe recurso.

PREFEITO DIZ QUE PEDIRÁ RECONSIDERAÇÃO DAS CONTAS

Em contato com o Ubatã Notícias, o prefeito Marcos Aurélio garantiu que ingressará com um pedido de reconsideração das contas junto ao TCM. Para o gestor, não houve gastos excessivos com locação de veículos e tampouco com combustíveis. “Temos uma zona rural extensa, em que a patrulha mecânica trabalha sem parar, ônibus escolares fazem transporte dos alunos para o distrito e as comunidades rurais com o auxílio de veículos locados. Além disso, temos uma frota significativa e diversos procedimentos de saúde são realizados fora do município, situações que ajudam a explicar os investimentos com locação de veículos e também com combustíveis”, disse o gestor, lembrando que teve suas contas de 2013 e 2014 aprovadas pelo TCM e ambos os gastos apontados no relatório de 2015 são similares aos dos anos anteriores. “Vamos recorrer ”, finalizou. (Ubatã Notícias)