Riachão das Neves: Carona morre e motociclista fica ferido em colisão entre moto e carro

Um homem morreu e outro ficou gravemente ferido após colisão entre a motocicleta em que eles estavam com um carro, ocorrida na noite de domingo (3), na rodovia BR-135, trecho de Richão Das Neves, no oeste da Bahia.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente ocorreu por volta das 22h10, no Km-77 da rodovia, no entrocamento para Santa Rita. O homem que morreu era o carona na motocicleta.

Não há informações sobre as circunstâncias do acidente e nem para qual hospital o ferido foi levado. As identidades das vítimas não foram reveladas.

G1

PREFEITURA DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES REALIZA SEMINÁRIO DE ENCERRAMENTO DE PROGRAMA EDUCACIONAL

IMG-20171204-WA0011

IMG-20171204-WA0005

IMG-20171204-WA0013

IMG-20171204-WA0007

IMG-20171204-WA0012

Nas escolas. O Programa, realizado em parceria com o Governo do Estado da Bahia, tem como objetivo melhorar a qualidade dos serviços prestados nas instituições públicas, priorizando a capacitação dos professores e a alfabetização na idade correta.

O titular da pasta, Leandro dos Santos, destacou a importância do pacto para a organização do trabalho pedagógico no processo de alfabetização. “O nosso município mais uma vez dá um passo adiante no que diz respeito à qualificação dos educadores. Essas iniciativas só contribuem para o crescimento e a aprendizagem dos discentes”.

De acordo com o prefeito Oziel Oliveira, Luís Eduardo Magalhães não foi incluído na lista de prioridades do Ministério da Educação e contemplaria apenas 23 coordenadores escolares. Porém, o gestor municipal entendeu a relevância da participação dos professores, incluindo 150 profissionais de 23 escolas públicas nas atividades. “Considero muito importante o envolvimento de todos que fazem parte do processo educacional, principalmente na alfabetização de nossas crianças. A inclusão dos professores fará toda a diferença num futuro bem próximo”, explicou.

Outro fator importante para o sucesso do Programa foi a mobilização dos pais e responsáveis pelos alunos, no sentido de acompanhar de forma permanente o desempenho na sala de aula. Segundo a Secretaria de Educação, 4.823 crianças foram beneficiadas pela iniciativa. “É um número expressivo e mostra todo o esforço do nosso quadro em proporcionar o que há de melhor para os estudantes da rede municipal”, encerrou Oziel.

Além da demonstração dos resultados, o evento, que contou também com a presença de secretários municipais; vereadores e do vice-prefeito, Vanir Kolln, acolheu apresentações culturais de estudantes de unidades escolares do município.

Ascom Prefeitura de LEM

CONFIRA AS VAGAS DE EMPREGO DO SINEBAHIA NESTA TERÇA-FEIRA (5)

IMG-20171204-WA0014

AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS (PCD)
Exclusiva para pessoas com deficiência
Não exige escolaridade
Não exige experiência
01 VAGA

ELETRICISTA DE PIVÔ
Não exige escolaridade
Experiência na função
Obrigatório possuir disponibilidade para residir em fazenda
01 VAGA

TÉCNICO AGRÍCOLA
Formação técnica na área
Experiência em coordenação de campo
Desejável CNH AB
Obrigatório possuir disponibilidade para residir em fazenda
01 VAGA

OPERADOR DE PIVÔ
Não exige escolaridade
Experiência na função
Obrigatório possuir CNH ‘C’ e disponibilidade para residir em fazenda
01 VAGA (mais…)

Barreiras: Vigilância Sanitária promove fiscalização preventiva no manuseio e comercialização de carnes

Capa (3)

DSC_9178

DSC_9180

DSC_9192

DSC_9205

Com objetivo de orientar os vendedores e verificar a qualidade dos alimentos comercializados, assim como a obediência as normas de manipulação de alimentos, os agentes da Vigilância Sanitária – VISA estiveram na manhã desse segunda-feira, 04, Centro de Abastecimento de Barreiras – CAB,realizando ações educativas e preventivas.

Essa etapa faz parte do procedimento iniciado em novembro, cujo objetivo foi explanar sobre noções adequadas de higiene, boas práticas para a conservação da carne, manuseio do alimento, a comercialização legal e o combate ao abate clandestino.

Segundo o Coordenador da VISA, esse processo faz parte da ação educativa promovida pela Secretaria Municipal de Saúde, o próximo passo será a fiscalização.

“Fazer esse controle de risco é necessário para evitar algumas doenças, como a aftosa e a brucelose, todos os vendedores terão o período de cinco dias para se adequarem as normas, na próxima fiscalização, os alimentos que não estiverem devidamente adequados serão recolhidos do comércio”, destacou Canuto Ayres.

Nos próximos dias a VISA seguirá notificando todos os estabelecimentos que comercializam carnes dando o prazo estabelecido na portaria 304 da Legislação Municipal para a adequação das normas.

Dircom Barreiras

São Desidério: Projeto ‘Um pé no mato outro na arte’ movimenta fim de semana na comunidade de Pontezinha

foto 1

foto 2

foto 4

foto 5

foto 3

foto 6

foto 7

“Me encanto e desencanto com a nova realidade, um pé no mato outro na modernidade”. Esses são alguns versos da canção que se tornou tema do Projeto ‘Um pé no mato outro na arte, realizado na noite deste domingo 03, na localidade de Pontezinha, a aproximadamente 100 quilômetros da sede de São Desidério.

Uma iniciativa do professor e escritor Wagner Brittes, da Escola Municipal Maria Francisca, e realizado com o apoio da Prefeitura Municipal, um grande público participou do festival que aconteceu na quadra poliesportiva. O secretário de Administração e Finanças (SAF), João Antônio Linhares, as secretárias de Agricultura e Desenvolvimento Econômico (SEAGRI), Patrícia Rocha, de Assistência Social (SAS), Vandreia Mendes, e de Educação (SEDUC), Iléia Almeida prestigiaram o momento.

Entre poesia e música, e com o objetivo de incentivar e revelar poetas, escritores, cordelistas, compositores e intérpretes, o festival contemplou mais de 30 apresentações e envolveu um público de 16 comunidades, de acordo com a organização. “Essa iniciativa nasceu a partir de um CD que ouvi de Zé Geraldo, e a ideia se transformou nesse festival que reúne as temáticas da cultura local, da arte e da identidade de um povo, que hoje são representadas por meio dessas poesias e músicas. Para ano que vem pretendo, além da poesia e música, agregar também o teatro”, relatou o idealizador, professor Wagner.

Na primeira parte, entre as apresentações do gênero poesia, estava a de Josieide dos Anjos, estudante do 3º Ano, que declamou o cordel ‘Como se faz a rapadura’. “O projeto é interessante, pois incentiva a descobrir talentos de muitos artistas que ainda estão anônimos aqui na nossa localidade”, afirmou. Anailza da Silva, do 2º Ano, que apresentou o poema Lendas de minha região, declarou. “Para mim é um grande desafio, pois não tenho o costume de apresentar em público. Não tínhamos tido nenhum projeto assim na região antes”.

O segundo momento foi marcado pelo gênero musical com apresentações de paródias, a exemplo da canção ‘Despacito da roça’. “É uma oportunidade maravilhosa para a comunidade, estou muito emocionada porque veio muita gente prestigiar”, relatou a intérprete Marilúcia Joaquina, do 9º Ano. “Foram dias de ensaio e hoje chegou o grande momento. Estou muito feliz em participar”, completou a estudante Geane Costa, também do 9º Ano.

Além da criatividade e intimidade ao tratar temáticas peculiares à vida no campo, muitos participantes utilizaram roupas e adereços característicos durante as performances das apresentações. “Um pé no mato outro na arte foi um projeto espetacular. Me surpreendi com a qualidade das apresentações e fiquei extremamente feliz em ver os jovens da zona rural mostrando o orgulho que sentem de suas comunidades através de poesias e músicas, ambas de autoria própria”, destacou a secretária Vandreia Mendes.

As apresentações foram intercaladas com muito forró com animação de Flávio Gabriel e banda. “Este é um momento importante da comunidade e representa um resgate cultural local”, afirmou o professor Joaquim Pedro. “Este projeto é um marco para a escola e para as comunidades da região, e sem dúvida um momento muito especial para os mais de 40 alunos que se apresentaram aqui hoje”, disse o diretor da Escola Maria Francisca, Wiliam Neri.

Ao final do evento foram premiados os três primeiros colocados das modalidades poesia e música. “Esses projetos de incentivo à leitura, a arte e música valorizam a nossa cultura e nos faz perceber quantos talentos que precisam ser revelados no município”, frisou o secretário José Antônio Linhares. “Um projeto que nasce no seio da escola, se estende para a comunidade e temos a oportunidade de conhecer e apreciar não somente artistas locais, mas das comunidades circunvizinhas neste momento que também é de confraternização”, destacou a secretária Iléia Almeida.

Ascom São Desidério

Luís Eduardo Magalhães: Bandidos tentam arrombar caixa eletrônico no bairro Santa Cruz

arrombam412173

Na madrugada deste sábado, (02), bandidos tentaram arrombar o caixa eletrônico 24h localizado no Oeste Shopping Popular, no bairro Santa Cruz, em Luís Eduardo Magalhães. Eles utilizaram um carro para invadir o local, mas a tentativa foi desastrosa. O alarme foi disparado e os assaltantes fugiram.

Essa é a segunda vez que o shopping é alvo de bandidos. Em junho, um grupo de criminosos arrombou um caixa eletrônico com um maçarico e, em seguida, fugiu com o dinheiro que estava dentro do equipamento. De acordo com informações da Polícia Militar, o crime foi percebido na manhã da segunda-feira (26), quando funcionários do estabelecimento chegaram ao local para trabalhar. O valor levado pelos criminosos não foi divulgado.

Também neste sábado, no município de Camamu, no sul do estado, as agências bancárias da Caixa Econômica e Banco do Brasil foram alvos de criminosos. Foram utilizados explosivos e as agências ficaram destruídas. Não há informações sobre valores levados.

Segundo o sindicato dos Bancários da Bahia, só neste ano, foram registrados 71 ataques a bancos e caixas eletrônicos.

Fonte: Blog Douglas Batista

Bahia: 3 milhões de eleitores biometrizados em 2017

unnamed (1)

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) alcançou, na sexta-feira (1º/12), a meta de 3 milhões de eleitores biometrizados apenas durante o ano de 2017. O número foi estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e considera todo o estado, não apenas aqueles municípios em fase de recadastramento biométrico obrigatório. Além da Bahia, apenas os estados do Paraná, Tocantins, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Pará atingiram as metas estabelecidas pelo TSE.
O presidente do TRE baiano, desembargador José Edivaldo Rocha Rotondano, comemorou a conquista. “Recebi com muita satisfação a notícia de que cumprimos a meta estabelecida pelo TSE, também meta prioritária para mim, enquanto presidente da Corte Eleitoral da Bahia. Eu não posso deixar de agradecer todo empenho, toda dedicação e toda presteza dos nossos servidores, em especial, aqueles lotados nos cartórios eleitorais, que são a linha de frente de todo esse trabalho. Gratidão ainda por todas as prefeituras parceiras, que nos cederam pessoal, espaço e nos deram todo apoio possível para que hoje estivéssemos comemorando este êxito, além do Governo do Estado e as instituições públicas e privadas que abraçaram a nossa causa”.
O desembargador, no entanto, não deixou de alertar aos eleitores dos municípios em fase obrigatória. “Se, por um lado, cumprimos a meta do TSE e conseguimos biometrizar 3 milhões de eleitores em um ano, por outro lado, ainda estamos muito aquém do número desejado quando consideramos apenas os eleitores das cidades em que o prazo para realização do procedimento termina em 31 de janeiro de 2018”, completou.
Dentre os municípios em fase obrigatória, a capital ainda preocupa. A menos de dois meses do prazo final, mais de 1 milhão de eleitores de Salvador ainda não cadastraram suas digitais. Na capital, são 1.984.731 eleitores, sendo que apenas 963.002 (48,521%) estão biometrizados.
Outros municípios em fase de revisão extraordinária enfrentam situação semelhante. Em Camaçari, dos 166.802 eleitores somente 81.161 (48,657%) passaram pelo recadastramento. Em Feira de Santana, a situação é um pouco melhor, mas ainda preocupante. No segundo maior colégio eleitoral do estado, pouco mais de 60% (251.007) dos 411.667 eleitores foram biometrizados.
Na Bahia, a revisão biométrica teve início em 2009, no município de Pojuca. Desde então, até última sexta-feira (1º/12), 4.390.839 eleitores em todo o estado foram biometrizados. Com isso, o TRE da Bahia cumpre com outra meta estipulada pelo TSE, que determinou que 40% do eleitorado baiano estivesse revisado até o final de 2017. Atualmente, dos 10.647.416 eleitores da Bahia, 41,24% estão biometrizados.

 

TRE-BA

Aborto: 45% dos brasileiros dizem conhecer alguma mulher que fez aborto

IMAGEM_NOTICIA_5 (1)Quase metade dos brasileiros (45%) com idade acima de 16 anos afirma que conhece uma mulher que já realizou um aborto. Os dados constam de pesquisa inédita realizada pelo Instituto Locomotiva e pela Agência Patrícia Galvão, divulgada nesta segunda-feira (4). Foram entrevistadas 1,6 mil pessoas, homens e mulheres, com 16 anos ou mais, de 12 regiões metropolitanas do Brasil, entre os dias 27 de outubro e 6 de novembro.

No caso das mulheres, o índice é maior: 52% dizem conhecer uma mulher que interrompeu a gravidez – a pergunta não especificou se era aborto legal ou não, mas avalia-se que a maioria seja clandestino. Mesmo com a proximidade com o tema, somente um quarto dos entrevistados, 26%, declarou ser favorável a ideia de que as mulheres possam decidir por interromper a gravidez.

O número já foi mais baixo, no entanto: na última pesquisa realizada em parceria com o Ibope em 2003, com o mesmo perfil de entrevistados, somente 15% apoiavam a decisão da mulher pelo aborto. Paralelamente, 50% concordam com a criminalização do aborto e avaliam que uma mulher que interrompe a gravidez intencionalmente deve ser presa. Questionados, no entanto, se a mulher fosse próxima, 47% não faria nada se descobrisse a interrupção da gravidez e apenas 7% acionaria a polícia.

Quando indagados sobre a quem compete o tema, a polícia é pouco citada pelos entrevistados – cerca de 8 em cada 10 brasileiros acreditam que a discussão do aborto no Brasil é uma questão de saúde pública ou de direitos, o que índica contradição nas opiniões.

Bahia Notícias

DF: Sargento rouba caminhão dos bombeiros e tenta invadir Esplanada.

bombeirosPoliciais Militares interceptaram um caminhão do Corpo de Bombeiros no Eixo Monumental, na madrugada deste domingo (3/12), depois que um militar da corporação furtou a viatura em um quartel em Ceilândia Norte e fugiu em alta velocidade pela Estrutural. O veículo seguia em direção à Esplanada dos Ministérios e foi parado na altura da Catedral, após disparos nos pneus.

Segundo informações da PM, o homem de 44 anos, é 2º sargento da corporação e está lotado no 8º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM). Ele seguia pela via Estrutural no sentido Plano Piloto quando os policiais iniciaram a perseguição. A ação ocorreu por volta da 1h50. Cerca de 15 viaturas policiais seguiram o caminhão. Ninguém se feriu.

Confira o vídeo.

Veja a nota oficial da Polícia Militar:

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL
COMANDO DE MISSÕES ESPECIAIS

⚡⚡ ROTAM ⚡⚡

Tentativa de Ato Terrorista

Data: 03/12/2017
Horário: 01:00h
Local: Via Estrutural e Esplanada dos Ministérios

Desfecho na DP: Tentativa de Ato Terrorista

Histórico:
Madrugada de sábado para domingo prefixos de ROTAM patrulhavam a área central de Brasília devido a um evento cultural com cerca de 10 mil pessoas, viaturas de Patamo também reforçavam o patrulhamento, quando o COPOM informa que um Caminhão dos bombeiros foi tomado por furto na cidade satélite da Ceilândia e se deslocava desgovernadamente e em alta velocidade para a região central de Brasília, prefixos de ROTAM sob ordem do ROTAM comando se deslocaram imediatamente pela via Estrutural afim de interceptar o caminhão, na altura da cidade do automóvel o caminhão é avistado vindo em pista oposta, sendo impossível realizar manobras mais seguras para acompanhar o caminhão, o prefixo de ROTAM optou por seguir na contra mão em altíssima velocidade afim alcançar o veículo desgovernado, principalmente devido a vasta quantidade de pessoas que participavam de um show na área central e além de todas as vidas que estavam ameaçadas no deslocamento desgovernado do Caminhão dos Bombeiros e temendo o imenso desastre iminente que poderia vir a acontecer, algo assim só sendo possível imaginar sob a ótica contemporânea onde somos surpreendidos a todos os momentos com atos terroristas e de grande repercussão pelo o mundo, como atropelamentos em massa em outros países, mesmo que não seja nossa realidade cotidiana, somos imbuídos da missão de servir e proteger mesmo com o risco da própria vida, de tal forma prefixos de ROTAM patrulhavam com o PATAMO, alçaram o caminhão desgovernado e em alta velocidade tiveram que realizar a única opção técnica para impedir que seu condutor tivesse êxito em seu intento, disparos precisos foram realizados primeiramente nos pneus dianteiros e em seguida nos traseiros sabendo que a perda da estabilidade traseira o faria rodar no local mais adequado e seguro.
Ao final do evento a equipes obtiveram êxito com o mínimo de danos e nenhuma pessoa ferida.
É importante ressaltar o lamento de todos nós Policiais Militares ao sabermos que se tratava de um Bombeiro Militar que num surto psicótico protagonizou tamanha diligência, porém ainda sim sua integridade física foi totalmente preservada e entregue a autoridades competentes.

Portal Metrópoles.

ÁGUA: O QUE CORRENTINA REVELA AO BRASIL

Sozinha, uma única fazenda consumiria trinta vezes mais água que a cidade e seus 33 mil habitantes. Revolta popular venceu ameaça — e a Globo, que chamou população de vândalaCorrentina proteto

“Ora, sucede que os primeiros cafoni de Fontamara que,
na manhã de 2 de junho, desceram a colina para ir ao trabalho,
encontraram-se com um grupo de cantoneiros, chegados do município,
com pás e picaretas, para desviar o riacho (disseram eles),
para afastar o riacho das lavouras e das hortas, que sempre irrigara,
sempre, desde quando a terra e a água existiam,
e para encaminhá-lo em sentido contrário, de forma a obrigá-lo
a costear algumas vinhas e a banhar terras que não perteciam a Fontamara,
mas a um rico proprietário do município Dom Carlos Magna”Fontamara, de Ignazio Silone

O rio Arrojado fica na cidade de Correntina, oeste da Bahia. Ele desce do Chapadão das Geraes e serpenteia por 100 quilômetros até desaguar no rio Corrente para logo adiante encorpar o São Francisco. Foi em defesa das suas águas que, no dia 11 de novembro, milhares de homens e mulheres deste pequeno município baiano ocuparam a praça pública cumprindo a sina da canção de Milton, transformando a cidade em “rio de asfalto e gente”.

É que dias antes, centenas de moradores da cidade realizaram um protesto na fazenda Higarashi para impedir que dutos sugassem praticamente toda a água do rio para abastecer projetos do agronegócio. As cenas foram exibidas nos principais meios de comunicação do país e o enfoque foi, como sempre, o de tentar rotular as ações de protesto como atos de vandalismo e terrorismo. O governador do Estado tratou o caso como de polícia e enviou forças de segurança para proteger os interesses do capital, determinando apuração dos responsáveis e chamando aqueles ribeirinhos de “bando”. De uma hora para outra, a cidade se viu ocupada e sitiada por policiais.

A reação da cidade, em solidariedade aos trabalhadores que impediram que os dutos da empresa continuassem a matar o rio Arrojado, mostrou ao país uma outra perspectiva da questão e evidenciou o grave problema ambiental que atinge aquela população há décadas que é o desastre ambiental da morte de riachos pela ação de grande empreendimentos agrícolas, com a anuência do Estado.

Correntina possui uma riqueza cultural de festas religiosas, feiras e turismo ligadas às águas dos seus rios e riachos. É tradição secular daqueles agricultores pequenos projetos de irrigação para agricultura familiar e de subsistência que nunca causaram danos ambientais. Foi somente à partir de 1970 que o Estado passou a incentivar grandes projetos de plantação de pinos e eucaliptos naquela região que levaram a destruição de 70% do cerrado e, com ele, das nascentes de dezenas de riachos da região que foram assoreadas até a morte, em processo de desertificação.

Foi aí que começou a tragédia das mortes dos rios e a tomada de consciência da sua população da importância da água nas suas vidas. Nos anos 2000, um grande proprietário de terras quis construir um canal em área de preservação permanente que desviaria cerca de 30% das águas do rio Arrojado. Cansada de esperar pelo poder público e após enviar carta ao então presidente FHC que, por óbvio, nada fez, a comunidade ribeirinha realizou um ato político de destruição do canal.

A desastrosa política estatal de plantação de eucaliptos, somada à inescrupulosa sanha do agronegócio, teve como resultado a morte de 17 riachos da região nos últimos 20 anos. O rio Arrojado, palco da revolta da população de Correntina, tem de 35 a 40 milhões de anos e, pelos estudos de pesquisadores, pode desaparecer daqui a 20 ou 30 anos.

Quarenta milhões de anos!

A mídia dos poderosos, no lugar de sempre

A revolta dos ribeirinhos contra a Higarashi tem início em 2015, quando 6 mil pessoas realizaram um protesto na cidade para pedir que o Estado não outorgasse autorização de captação de água para empreendimentos privados, pois isso aprofundaria ainda mais o trágico drama ambiental. Nada foi feito. Nem pelo governo do Estado, nem pelo Judiciário, nada. No ano passado, o Ministério Público da Bahia e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Corrente recomendaram que o Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA) não concedesse outorgas para grandes empreendimentos na bacia do Rio Corrente – da qual o Arrojado faz parte -, o que não foi acatado.

Para se ter uma ideia do tamanho da tragédia causada pela empresa Higarashi basta ver que os seus dutos captavam por dia 103 milhões de litros de água do rio, enquanto que toda a população da cidade junta capta apenas 3 milhões/dia. Ou seja, a cidade toda consome do rio apenas 2,8% de uma fazenda.

A ação da população não foi somente legítima como imprescindível para salvar o rio da morte certa, caso os criminosos projetos de captação continuassem, acintosamente, a dragá-lo. A pergunta que fica é: quem autorizou tamanho disparate? Qual a indenização e compensação que essa empresa deu ou dará às milhares de famílias que vivem às margens e desses rios há mais de um século?

Investigar isso parece não ser o interesse do poder público. Ao contrário, as autoridades querem punir justamente a população local. Entidades que atuam na área de direitos humanos soltaram uma nota em que denunciam o verdadeiro clima de terror que está sendo submetida a população de Correntina. Vale colar um trecho:

“São três delegados responsáveis pela investigação, incluindo o coordenador regional lotado em Santa Maria da Vitória, município vizinho, além de suporte significativo de outras equipes enviadas da capital. Até o momento, dezenas de pessoas, dentre homens, mulheres, idosos, em sua maioria moradores das comunidades ribeirinhas, foram inquiridas na delegacia local, que funciona em ritmo nunca antes registrado na história de Correntina. Em paralelo, temos informações de que ocorrem, de forma ostensiva e sem autorização judicial, buscas pelas comunidades, com a participação ativa da Polícia Militar, na tentativa de obter informações das pessoas em suas residências e locais de trabalho, sem sequer uma intimação formal. Já aqueles que eventualmente receberam intimação são chamados para prestar informações poucas horas após o recebimento da notificação, o que impossibilita o acompanhamento do ato por um/a defensor/a.”

Triste ironia desses tempos.

Fontamara é um belo romance neorrealista italiano escrito em 1933 quando seu autor, Ignazio Silone, estava exilado fugindo da polícia fascista em Davos, na Suíça. Retrata o drama de uma pequena localidade que sofre pela falta de água causada por ricos proprietários durante o fascismo. O nome Fontamara significa fonte amarga. A ficção denúncia de Silone se materializa em Correntina dos dias atuais.

E a lição de resistência dada pela população de Correntina deveria ser incorporada por todos nós brasileiros que dia pós dia assistimos a desvios e furtos de direitos sociais retirados da mesma forma e ritmo daquelas enormes dragas e dutos da fazenda Higarashi.

A luta pela defesa das águas de um rio por homens e mulheres simples de mãos calejadas, cujos pais, avós, bisavós viveram e morreram tendo essas águas como elemento indissociável da própria existência, em uma cidade de 35 mil habitantes, no interior profundo do Brasil, sem querer, tornou-se um poderoso exemplo de tomada de consciência e ação política concreta, tão necessária nos tempos atuais. Oxalá as águas do Brasil se revoltem numa imensa Correntina.

Fonte: Outras palavras.net/via Barreiras Noticias