Prefeitura de São Desidério em parceria com ABAPA doa kits de irrigação a produtores do município

Seagri 1

Seagri 2

Seagri 3

Seagri 4

Por meio da parceria entre a Prefeitura de São Desidério e a Associação Baiana de Produtores de Algodão (ABAPA), pequenos produtores da Agricultura Familiar do município receberam equipamentos de irrigação doados pela ABAPA. A entrega simbólica dos kits aconteceu na manhã de sexta-feira 15, na comunidade de Samambaia com a presença da secretária de Agricultura, Patrícia Rocha, técnicos da SEAGRI e o diretor executivo da ABAPA Lidervan Morais.

Dos seis kits doados, quatro beneficiaram famílias de Samambaia, um será destinado ao Assentamento Vitória no distrito de Roda Velha I e outro para o povoado de Ilha do Vítor. “Agradecemos a ABAPA por essa parceria com a Prefeitura de São Desidério. Essas parcerias têm somado às ações da Secretaria de Agricultura para desenvolver a Agricultura Familiar em nosso município. A partir da entrega dos kits a SEAGRI irá continuar dando todo o apoio técnico aos pequenos produtores”, destacou a secretária Patrícia. (mais…)

Prefeitura de Barreiras avança com programa de arborização em ruas e avenidas da cidade

Capa

DSC_1849

DSC_1851

DSC_1863

DSC_1874

DSC_1876

Desde o início deste ano, no período de um mês e meio, mais de 300 mudas de espécies nativas do cerrado foram plantadas em vias e espaços públicos de Barreiras. A ação de arborização integra o Programa Barreiras Cidade Verde e Sustentável, da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo, e conta com a parceria da Secretaria de Infraestrutura, que assume a função de regar as plantas, sempre que necessário.

Nesta quinta-feira (14), os trabalhos de plantio de mudas começaram ao longo da Rua das Turbinas, no trecho de 1 km, entre o Senai e o Hospital do Oeste. Equipes das duas secretarias, se revezaram ainda nesta manhã de sexta-feira (15) arborizando a via, com 42 mudas de acácia amarela (uma exceção, por não serem do cerrado), que, após serem plantadas e molhadas por um caminhão pipa, recebem uma grade de proteção para garantir o crescimento seguro. (mais…)

Feira de Santana: Homem morre em clínica durante endoscopia e corpo é levado para casa pelo Samu e deixado em sofá

foto2 Foto: Reprodução/TV Subaé

Um homem de 51 anos passou mal durante uma endoscopia e morreu, na quarta-feira (13), em uma clínica localizada na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador.

Em seguida, o corpo do paciente foi transportado para casa da família dele por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que havia sido acionado para prestar socorro.

O caso foi denunciado pelos familiares do homem para a Polícia Civil, que investiga a situação.

De acordo com a família, o homem morreu por volta das 11h da quarta-feira, no Instituto de Doenças do Aparelho Digestivo (Idad). Edilberto Lopes Batista estava realizando a endoscopia, por conta de dores no estômago, quando se sentiu mal.

A clínica acionou o Samu para atender o paciente, mas, ao chegar no local, a equipe constatou que o homem havia morrido. Em seguida, o corpo de Edilberto foi levado para casa e colocado no sofá da sala da família.

“O Samu já deixou o corpo dentro da residência sem comunicar a ninguém. Largou lá como se fosse um indigente, como se não existisse familiar. E mandou que a família fosse buscar um atestado de óbito lá no Samu”, disse Jodailton de Almeida, cunhado de Ediberto.

Sem entender o que estava acontecendo, familiares de Edilberto acionaram a polícia. Uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana esteve no local e fez a remoção do corpo do homem. Edilberto foi enterrado na tarde desta quinta-feira (14), no Cemitério São joão Batista, em Feira de Santana, sob muita comoção.

Os familiares de Edilberto contam que ele não tinha nenhum problema de saúde, e tentam entender o que houve. Segundo a família, nenhum explicação foi dada pela clínica e nem pelo Samu. A situação está sob investigação da 2ª Delegacia de Feira de Santana, onde o caso foi registrado.

“Prestamos queixa e vamos correr atrás, vamos lutar por aquilo que fizeram com o corpo de meu irmão”, contou Miguel Arcanjo Batista, irmão de Ediberto.

De acordo com a delegada Bianca Torres, que apura o caso, foi pedido um laudo de necropsia para apurar as causas da morte de Edilberto. A delegada informou também que vai ouvir a família, os médicos do Samu que estavam no plantão e a equipe que fez o exame da vítima.

A reportagem da TV Subaé tentou gravar entrevista com o Samu, mas a direção do órgão preferiu divulgar uma nota, informando que a médica que atendeu Edilberto considerou que a morte do paciente teria sido natural e, nesse caso, o procedimento é entregar o corpo à família.

Já a clínica que realizou o exame disse, em nota, que a endoscopia foi feita sem nenhum problema e só depois o paciente teve uma parada cárdio respiratória.

O estabelecimento informou também que tentou reanimar Edilberto e acionou o Samu, que continuou o atendimento, mas não teve êxito.

Fonte: G1 BA

Ação do MP resulta na retirada de nove crianças que viviam embaixo de ponte em Barreiras

logo_mp_0Nove crianças moravam embaixo de uma ponte, em convívio com animais, bebidas alcoólicas, fezes e sujeira, às margens do Rio Grande e da BR 242, no município baiano de Barreiras. Uma delas, de apenas três anos, perdeu a perna direita ao ser atropelada nas mediações da ponte por um veículo de carga pesada, enquanto sua mãe lavava roupas no rio, no último mês de dezembro. A situação, comunicada pelo Conselho Tutelar de Barreiras ao Ministério Público baiano, chamou a atenção do promotor de Justiça Márcio Guedes que visitou pessoalmente o local e, em razão da situação de vulnerabilidade constatada, ingressou com uma ação de suspensão do poder familiar de cinco crianças irmãs para que fossem retiradas do local e acolhidas temporariamente em um abrigo. O juiz Ricardo Costa e Silva, atendeu o pedido do MP, e determinou a retirada dos cinco irmãos do local. A determinação foi cumprida na última sexta-feira, dia 8, com o apoio de policiais e bombeiros militares, conselheiros tutelares, assistentes sociais e psicólogos. Outras crianças que viviam no local também foram acolhidas e estão abrigadas no Lar de Emmanuel, que fica no município.

A medida de suspensão do poder familiar, segundo a decisão do juiz, foi deferida com a finalidade de “resguardar a integridade física e psicológica das crianças”. Ele determinou, ainda, que o acolhimento fosse feito no Lar de Emmanuel e que as crianças estudem e recebam acompanhamento especializado. Na manhã de ontem, dia 13, após cinco dias da ação de retirada das crianças do local, o promotor de Justiça Márcio Guedes visitou o abrigo que as acolheu para se cientificar da situação delas e encontrou as crianças bem vestidas e alimentadas, as maiores frequentando escolas e as menores recebendo as vacinas adequadas. “As crianças estão bem acolhidas, recebem a visita dos pais, e a tendência é que retornem para suas famílias, sob a condição de que não voltem a morar embaixo da ponte”, afirmou o promotor de Justiça. De acordo com informações colhidas pelo Ministério Público, a família possui uma casa em um bairro da cidade, mas permanecia morando embaixo da ponte em virtude do imóvel “ser pequeno” e “para comercializar seus produtos (de limpeza) e receber doações” no local. Para que a condição das famílias também seja avaliada, o promotor Márcio Guedes encaminhará cópia do processo para a Promotoria de Justiça com atribuição na área da Cidadania. Segundo ele, mais de 20 pessoas ainda moram embaixo da ponte.

Telefones: (71) 3103-0446 / 0449 / 0448 / 0499 / 6502

Fonte: Cecom/MP

Presidente da Vale diz que a Vale é uma joia e não pode ser condenada por tragedia

 

p-v-1O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, afirmou nesta quinta-feira (14) que a empresa “é uma joia brasileira” e não pode ser condenada pelo rompimento da barragem de Brumadinho, “por maior que tenha sido a tragédia”.

O executivo falou durante audiência da comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha os desdobramentos do caso.

O presidente da empresa apresentou as principais medidas adotadas após o rompimento da barragem e defendeu a Vale.

Segundo ele, a empresa, uma das melhores que diz ter conhecido, não pode ser condenada por causa de um único acidente.

O presidente da Vale garantiu que todos os processos adotados pela empresa na operação de barragens serão revisados por órgão responsável pelo licenciamento de barragens nos Estados Unidos, o U.S. Army Corps of Engineers.

“É uma joia brasileira que não pode ser condenada por um acidente que aconteceu em sua barragem, por maior que tenha sido a tragédia”, afirmou.

Fonte: G1

Ao menos 305 km do Rio Paraopeba está contaminado, diz ONG

funai_brumadinho_ii

A Fundação SOS Mata Atlântica, organização não governamental (ONG) que atua em defesa do meio ambiente desde 1986, divulgou hoje (14) dados de análises realizadas no Rio Paraopeba. De acordo com a entidade, uma análise de 22 pontos permitiu concluir que a água está contaminada, com qualidade péssima ou ruim, ao longo de pelos menos 305 quilômetros.

Os resultados foram obtidos após uma expedição que durou 10 dias e terminou no último sábado (9). Na semana seguinte ao rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG), eles começaram a percorrer rodovias federais e estaduais e estradas rurais, sempre perseguindo o leito do rio. A cada 40 quilômetros, uma amostra foi coletada.

No último ponto analisado, no reservatório de Retiro Baixo, a situação da água foi considerada ruim com índices de turbidez de 329,6 NTU. “Isso equivale a três vezes mais do que o permitido pela legislação. Desde a região de Córrego do Feijão, onde os rejeitos encontraram o Rio Paraopeba, até o reservatório de Retiro Baixo, em Felixlândia (MG), a equipe não encontrou água em condições de uso”, informa a Fundação SOS Mata Atlântica. (mais…)

Cerca de 30 mil pessoas passaram a receber água da Embasa no oeste baiano, em 2018

Estrutura ampliada estação de tratamento de água BarreirasEm 2018, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) executou 7.322 novas ligações de água nas cidades do Oeste da Bahia, levando água tratada e de qualidade para cerca de 30 mil pessoas. Com 2.546 novas ligações de água, Luís Eduardo Magalhães lidera entre as cidades da região com maior quantidade de acréscimos de ligações; seguido de Barreiras, com 1.361 novos imóveis atendidos. Na zona rural, destaque para o atendimento da empresa às localidades do Javi, distrito de Muquém do São Francisco; Taguá, de Cotegipe, e Santo Antônio, de Canápolis.

O gerente regional da Embasa, Francisco Araújo Andrade, explica que a empresa vem mantendo a média no avanço de atendimento a novos imóveis nas cidades atendidas pela empresa na região. “Houve um incremento de novas ligações de água, ao absorver novos loteamentos e residenciais, o que garantiu um maior acréscimo de ligações de água em Luís Eduardo Magalhães, por causa dos residenciais Luar do Cerrado e Jardim das Oliveiras”, afirma. Nos últimos cinco anos – de 2013 a 2018 – a Embasa executou 34.711 novas ligações de água na região.obra de extensão de rede barreiras

Em andamento – Com recursos do Fundo Estadual de Combate à Erradicação da Pobreza (Funcep), a Embasa está investindo cerca de R$ 5.336 milhões para beneficiar cerca de 3,3 mil moradores das localidades do Barrocão de Cima e de Baixo, Gameleira, Bebedouro e Passagem Funda. Para 2019, também deverão ser entregues a construção de um sistema de abastecimento no distrito do Sítio do Rio Grande, em São Desidério, um investimento de R$ 1,1 milhão que vai beneficiar 1,8 mil habitantes, e a extensão de rede para atender as localidades de São José, Juaí e Poço do Meio, na zona rural de Mansidão, um investimento de R$ 1,6 milhão que vai garantir água tratada para 2 mil pessoas.

 Fonte: Assessoria de Comunicação da Embasa Unidade Regional de Barreiras (UNB)

 

Lava a jato clandestinos são alvo de operação da Embasa na região do Paralela Park

20190213_IMA_LavaajatoParalelaaParkEm mais uma operação de combate às fraudes na rede de água, equipes da Embasa identificaram e retiraram hoje (13) um ramal clandestino utilizado para abastecer quatro lava a jato irregulares localizados na Rua Procurador Nelson Castro, no Trobogy, nas proximidades do condomínio Paralela Park. Os lava a jato estavam desviando muita água, dado o grande movimento de carros de clientes no local. A ação foi acompanhada por integrantes da Polícia Militar.

“Após a retirada, colocamos uma cápsula para dificultar o restabelecimento da ligação clandestina, pois é muito comum, nestes casos, a tentativa de reabertura da ligação indevida”, contou Luzivane Cunha, gerente comercial da Embasa. A empresa registrou um boletim de ocorrência na 10ª Delegacia Territorial, situada em Pau da Lima, para a identificação e punição dos responsáveis.

O combate aos desvios de água causados por lava a jatos têm sido um foco das operações de combate a fraude realizadas pela empresa em Salvador. Na última quarta-feira (6), um lava a jato foi flagrado com ligação clandestina na rede distribuidora de água no bairro de São Cristóvão. Após receber uma denúncia anônima, a Embasa retirou a fraude e a Polícia Civil abriu inquérito para investigação do crime de furto de água fez a oitiva dos funcionários da Embasa e policiais militares presentes na ação.

De acordo com o Artigo 155 do Código Penal Brasileiro, a prática de furto de água é qualificada como crime contra o patrimônio, sujeita a pena de reclusão, além de multa. O usuário que estiver nessa situação deve procurar um ponto de atendimento da empresa e regularizar sua ligação, evitando problemas e corte no abastecimento do imóvel.

RISCO DE CONTAMINAÇÃO | Ações fraudulentas envolvendo a utilização da água distribuída pela Embasa são responsáveis pelo desvio de cerca de dois bilhões de litros de água por mês, em Salvador e Região Metropolitana (RMS). Além das perdas físicas e financeiras e do risco de contaminação da água devido à manipulação indevida das redes, o furto de água prejudica o abastecimento de quem paga em dia a conta, já que o volume de água projetado para abastecimento destina-se aos imóveis com ligações devidamente cadastradas e cujo consumo pode ser medido. Além dos casos suspeitos identificados por meio das análises de consumo e do cruzamento de dados no sistema comercial da Embasa, a empresa conta com o apoio da população, que pode denunciar sigilosamente as situações de fraude pelo teleatendimento 0800 0555 195 ou na agência virtual, no site www.embasa.ba.gov.br.

Fonte: Ascom Embasa – Unidade Regional de Barreiras