Oeste da Bahia: Mais de 335 quilômetros de rodovias passarão por recuperação

O governo do estado publicou na edição desta terça-feira (20), do Diário Oficial do Estado (DOE), o aviso de licitação da recuperação de 335 km de asfalto na região Oeste. Serão recuperados trechos das BAs 463, 459 e460 que perpassam as cidades de São Desidério, Roda Velha e Barreiras. Ainda segundo o governo, a empresa responsável pela requalificação do trecho há cerca de quatro anos descumpriu questões contratuais e até então a obra estava parada.

De acordo com o governo, os serviços estarão sob a responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), através do Programa de Recuperação e Manutenção de Rodovias (Premar). A intenção é de que a  BA-463, entre São Desidério e Roda Velha, seja requalificada em 125,8 km.  Já a BA-459, serão requalificados  92,5 km do distrito de Placas, em Barreiras, até entroncamento da BA-454 e os 64,8 km que ligam os entroncamentos da BA-454 e da BR-242 passarão por restauração.

Os 45,6 km do entroncamento da BR-242 até Placas e os 9 km ligando a localidade à divisa entre Bahia e Tocantins também vão ser recuperados na BA-460.

O  secretário de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, explicou que as três rodovias possuem um papel importante para o escoamento da produção de grãos, como a soja, o algodão e o milho, do oeste baiano. A restauração dos trechos na região do Anel da Soja, de São Desidério até Roda Velha e até a divisa entre Bahia e Tocantins vai contribuir no transporte dos grãos até destinos como o Nordeste Brasileiro, China, Vietnã, Indonésia e a União Européia.

“Em 2017, uma construtora venceu o processo licitatório para a realização de obras no oeste, porém paralisou os serviços no segundo semestre de 2019. A Seinfra conseguiu a liberação na justiça para iniciar uma outra licitação para a continuidade da recuperação das rodovias na região, acrescentando também a BA-460, do distrito de Placas à divisa entre Bahia e Tocantins”, disse.

Cavalcanti revelou ainda que, há cerca de quatro anos, a empresa responsável pela requalificação teve problemas na execução do que estava previsto no contrato. “Aplicamos todas as penalidades contratuais e ficamos durante um momento em uma disputa jurídica e impedidos inclusive, de fazer qualquer manutenção nas rodovias. A PGE [Procuradoria Geral do Estado] conseguiu liberar essa ação de ordem jurídica e nós estamos agora licitando um investimento previsto de mais de R$ 80 milhões de reais na recuperação destes trechos”, finalizou.

Fonte: Odestaque/ Blog Bahia