Com aumento nos focos de incêndio no Estado, Coelba alerta para queimadas próximas da rede elétrica

Logo Coelba NovoMais de 20 mil focos de incêndio foram registrados na Bahia no último mês, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Outubro é o mês de maior a incidência de queimadas e incêndios florestais na Região Oeste do Estado da Bahia. Elas ocorrem devido ao tempo seco, baixa umidade do ar e pouca chuva neste período do ano. Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), apenas em setembro foram registrados 20.372 focos de incêndio, um deles próximo à linha de subtransmissão da Coelba em Luís Eduardo Magalhães, o que causou a interrupção do fornecimento de energia para 47 mil clientes, por mais de 40 minutos.

Também foram registradas queimadas nas regiões do Rosário (distrito de Correntina) e Jaborandi. Na semana passada, houve uma queimada ao lado da subestação de Rio das Pedras, também no município de Luís Eduardo Magalhães (vídeo anexo).

 As queimadas quando próximas à rede elétrica podem provocar a interrupção no fornecimento de energia. Mesmo sem atingir a rede, colocam em risco o fornecimento, já que, basta o calor e o campo ionizado em volta dos cabos, para criar um efeito chamado de arco-voltaico — que provoca um curto circuito, onde ocorrem oscilações de energia.

A legislação regula as queimadas impondo condições para que elas aconteçam de forma mais segura. Toda queimada precisa ser autorizada pelo órgão ambiental (IBAMA ou SEMARH/CRA).

Para evitar as queimadas e garantir a qualidade do fornecimento de energia, a Coelba reforça algumas dicas para este período:

  • Não coloque fogo em terrenos baldios ou lixões;
  • Apague com água as fogueiras em acampamentos para evitar que o vento leve as brasas para a mata;
  •     Não solte balões! Além de ser proibido por lei, pode causar acidentes;
  •    Não jogue pontas de cigarro acesas, latinhas de metal ou vidro nas matas ou em acostamentos das rodovias;
  •    Não tente apagar fogo em rede elétrica com jatos de água sem a presença da distribuidora no local, caso a rede ainda esteja energizada, o jato contínuo de água poderá conduzir a eletricidade até o indivíduo;
  • Não plantar dentro da faixa da linha de transmissão de energia e, sempre que possível, dar prioridade à colheita mecânica, evitando a colheita manual nos trechos próximos às linhas de transmissão com o uso do fogo;

Ao identificar um foco de incêndio, informe a Guarda Florestal e ao Corpo de Bombeiros. Se for às margens de uma rodovia ou próximo da rede elétrica, notifique também a Coelba (116).

Fonte: Ascom Coelba