Barreiras: Prefeito Zito Barbosa se surpreende com tamanha divida deixada pela gestão anterior.

O prefeito de Barreiras, Zito Barbosa, ficou surpreso com o volume de dividas que encontrou na Prefeitura  deixadas pela gestão anterior. Ele reuniu a imprensa na manhã desta terça-feira, 10, para falar sobre a situação financeira do Município. De acordo com relato do gestor e de secretários a situação é gravíssima e demandará muito esforço para superar as dificuldades e tocar o seu projeto administrativo.
As dívidas acumuladas ultrapassam a casa dos 300 milhões de reais podendo ser ainda maior que isso já que os números não estão totalmente contabilizados. Além disso a nova gestão já foi atingida por sequestro de verbas por conta de atrasos na negociação do INSS. Só hoje foram sequestrados 2.902.774,00 Além disso foi constatado  que durante os quatro anos anteriores não houve recolhimento do INSS gerando uma nova dívida de 110 milhões aos cofres públicos. Segundo Zito uma das mais desagradáveis surpresas foi saber que a gestão anterior tentou parcelar esta dívida em 60 meses e se tal fato tivesse sido concretizado a atual gestão ficaria inviabilizada e não conseguiria cumprir os compromissos de campanha. “Quem faz isso não tem amor por Barreiras. Um gestor deve pensar no futuro do Município e do seu povo e não apenas no seu mandato” disse e acentuou que em seu governo tudo será feito de forma planejada, transparente e não vai gastar mais do que arrecada. “Acabou o tempo em que a prefeitura era utilizada como cabide de emprego”.
Zito relatou ainda que, se a gestão anterior quisesse, teria pago os salários de dezembro. Isso porque o município recebeu de receitas não previstas 18 milhões de reais, dentre elas a antecipação do ICMS, recursos da repatriação e  outros repasses constitucionais. A folha de pagamento de dezembro atingiu um total bruto de quase 12 milhões. Ou seja: se os salários de dezembro tivessem sido pagos ainda sobrariam nos cofres públicos, 6 milhões de reais.
ZITO NÃO TEM INTENÇÃO DE PARCELAR SALÁRIO DE DEZEMBRO
O gestor afirmou ainda que não tem intenção de parcelar o salário do mês de dezembro que não foi pago pela gestão anterior. Ele pediu paciência ao funcionalismo e disse que, juntamente com a sua equipe está buscando solucionar o problema e que se tudo correr bem e não houver novos sequestros de verbas, a intenção é pagar o salário de dezembro integralmente em fevereiro. Com relação a sua gestão, ele tranquilizou os servidores e disse que os salários serão pagos religiosamente em dia.
NÃO TOMARÁ NENHUMA MEDIDA JUDICIAL POR RETALIAÇÃO AO EX-GESTOR
Apesar de encontrado um cenário adverso, Zito disse que só tomará medidas judiciais caso forem necessárias para resguardar o seu mandato e a sua gestão. “Não tomarei nenhuma medida judicial por retaliação ou perseguição política. Não faço isso e nem tenho esse perfil”. O gestor e os secretários por mais de uma vez disseram que a transição foi apenas um jogo de aparências e que as informações que foram pedidas, a maioria delas, não foi disponibilizada. “Só soubemos o tamanho do problema quando assumimos e tivemos acesso a alguns dados, já que  a maioria ainda não temos, tais como contratos, processos de pagamento, etc.” O prefeito frisou ainda que suspendeu o pagamento de cheques que haviam sido emitidos pela gestão anterior e que vai estudar caso a caso para que possa efetuar os pagamentos.
OTIMISMO APESAR DO CAOS
Embora considere a situação caótica, Zito não perdeu o otimismo e fez questão de dizer que Barreiras tem jeito. Ele reafirmou o seu compromisso de fazer uma gestão austera, planejada, pois somente desta forma o dinheiro poderá ser bem utilizado naquilo que é essencial para o desenvolvimento de Barreiras e a melhoria de qualidade de vida da população. Pediu, mais uma vez, paciência para que ele possa equacionar os problemas encontrados para que possa colocar em prática o seu projeto de governo. “Espero contar com a compreensão do povo de Barreiras pois a nossa missão é fazer o melhor por esta cidade” disse.
Na coletiva Zito estava acompanhado da vice-prefeita Karlúcia Macêdo, dos secretários Marcelo Abreu (Finanças), Adriana Marmori (Planejamento),  Versiane Paula (Controladoria) e Túlio Viana (Procurador Geral).
(Mural do oeste)